quarta-feira, agosto 12, 2009


O fantástico mundo de Maria
...


Sentada à beira da calçada, ela observava o mundo a sua volta.
Era quase claro, como a cor refletida nos olhos de sua mãe.
Pela primeira vez na vida, ela sentiu falta daquele homem enorme que
poderia carregar o seu mundo nas costas.
Apesar da meninice, sua maturidade havia chegado cedo demais,
e o mundo já pesava há tempos em suas costas miúdas.
Foi a única vez na vida que a vi chorar. Chorar como criança.
Criança que cedo se perdeu por culpa do peso do mundo que, na verdade, nem era seu.

Renata Maria

3 comentários:

Anônimo disse...

Mudar o foco de suas atenções faz a visão se ampliar. O mundo que vemos por fora de nossa casa (seja ela o nosso próprio "eu", seja ela o nosso "habitat") é o espelho que reflete nossa luz e nossas sombras. Essa poesia nos leva a fazer múltiplas leituras, porém, "sem correções, sem críticas, sem mais o quê..."
Gostei.

Alex Costa disse...

Denso e bonito!

somebody disse...

酒店經紀人,菲梵酒店經紀,酒店經紀,禮服酒店上班,酒店小姐,便服酒店經紀,酒店打工,酒店寒假打工,酒店經紀,酒店經紀,專業酒店經紀,合法酒店經紀,酒店暑假打工,酒店兼職,便服酒店工作,酒店打工經紀,制服酒店經紀,專業酒店經紀,合法酒店經紀,酒店暑假打工,酒店兼職,便服酒店工作,酒店打工,酒店經紀,制服酒店經紀,酒店經紀