terça-feira, março 07, 2006

Dor Morna

Dor Morna...
Dor morna...
Que arrepia e transtorna
Meu ser que já não vive
Paira...
Num ar sem ar que sufoca
Repleto de escuridão
Paixão...
Deitei no vazio desse chão
Quando acreditei em você
Pequei...
Me perdi de mim e de ti
Ao ver o arco-íris no teu olhar
Amei...
Hoje tudo parece vago
Solto no vácuo
Solidão...
Onde eu me contorno e choro
Num espaço apertado
Coração...
Me enquadro num pedaço
Que sobrou do amor
Lembranças...
E tudo se transforma
Nessa triste e cansativa
Dor morna...
Que arrepia e transtorna
Esse ser que já não sei
Quem sou...
Renata Costa