sábado, dezembro 03, 2005

De todas as cores e retalhos


De todas as cores e retalhos


Vou rodar a minha saia
De todas as cores e retalhos
E na velocidade das voltas
Só consigo te ver passar
Lentamente mirando
Admirando minha dança
Que é toda pra você
E danço, danço, rodopio
De chinelos arrastados
Cabelos cor do sol
E um corpo frio
Molhado da chuva fina e fria
De início de inverno
Que persiste em cair
Resistindo a força do vento
Que teima em correr
Já é madrugada,
Fim dos sonhos
Pois estes só existem
No mistério da escuridão
Onde tudo se confunde
Onde tudo se difunde
Começo a andar, agora sozinha
Pra te encontrar
Recomeço a rodar, rodar e rodar
Dando voltas e voltas
De todas as cores e retalhos
Buscando você no meu olhar...