quinta-feira, dezembro 14, 2006

Quem assim seja...

"Só por hoje"

Queria fazer uma canção de amor
.
Para dizer do quanto sinto por você
.
Para te fazer fechar os olhos e dizer:
.
Fica aqui comigo só mais uma vida.
.
Queria fazer para ti uma rima
.
Daquelas que cantam um amor sem fim
.
Para sentir de novo teus braços em mim

.
E esquecer que chegou a hora de me despedir
.
Queria te fazer versos enluarados
.
Para te fazer delirar em pecado
.
E assim me dizer baixinho:
.
Nunca mais vou te esquecer.
.
Mas, como não sou poeta e nem cantador
.
Não faço rimas e nem canções de amor
.
Rogo a Deus por teu amor
.

Por todas as noites que em mim descansa teu cansaço
.

Por todos os dias que acordo e velo teu sono
.
Que sejam meus enquanto durar os céus.

.
Lua


3 comentários:

Anônimo disse...

Sabes qual o grande desafio da lua?
Resistir ao feitiço das estrelas que a acompanham tornando-a distante dos que não de conformam em apenas apreciá-la,
dos que ousam querer tocá-la e desejam sentir a maciez de sua(s) face(s),
sem se importarem com os limites geográficos, nem com o assédio de suas companhias tão próximas.
Ou seria exatamente essa relação tão íntima com as estrelas que a permite viver encantando quem a vê sem assumir, contudo, compromissos?
Lua nova, crescente...Cheia!
Vá... Mas volte sempre, viu?
luiali

Yuri disse...

Olá!

Cheguei aqui, não sei como ^^

www.fotolog.net/melacov

Anônimo disse...

Último Grão

Composição: Isabella Taviani

Não demora agora
Há tanto pra gente conversar
Eu desejo e vejo, a rua você atravessar
E os teus passos largos já não me incomodam
Não te acompanho mais, caminho do meu modo
Teus olhos turvos e poucos sinceros
Não me atormentam quanto mais eu enxergo

Eu e você, podia ser
Mas o vento mudou a direção
Eu e você e essa canção
Pra dizer adeus ao nosso, ao nosso coração

Tá na minha frente
Não se perturbe verdade é pra falar
Sei que vai morrer um pouco
Mas ainda há tanto pra lembrar
O teu sorriso lindo, indefinido
Suas mãos tão quentes atravessando o meu vestido

Palavras que falávamos simultaneamente
No meu ouvido o teu discurso indecente

Eu e você, podia ser
Mas o vento mudou a direção
Eu e você e essa canção
Pra dizer adeus ao nosso

Às vezes o amor
Escorre como areia entre os dedos
Não tem explicação para tantos erros
É melhor partir
Antes do último grão cair

Eu e você, podia ser
Mas o vento mudou a direção
Eu e você e essa canção
Pra dizer adeus ao nosso, ao nosso coração

Eu e você, podia ser
Mas o vento mudou a direção
Eu e você e essa canção
Pra dizer adeus ao nosso, ao nosso coração