terça-feira, agosto 01, 2006

Borboleta pequenina saia fora do rosal, venha ver quanta alegria que hoje é noite de natal...

Borboleta Azul










Borboleta azul
Que paira mansa no ar
Em busca do teu universo
Inverso nas pétalas
Da tua preferida flor lilás
Bailado suave
Encantador olhar
Através de tuas asas
O tempo vive
E a felicidade renasce
Em tons de todas as cores
Lilases...
Vens de lugares longínquos
Para enfeitar a singela primavera
E padecer no crepusculário
Onde num dia qualquer
Sentada em frente ao mar
Sonhaste com o encontro
Do infinito com as tuas mãos
E assim...
Naquele momento, sem querer;
Foste para sempre feliz.


5 comentários:

Anônimo disse...

Eu te amo



Eu te amo porque te amo.

Não precisas ser amante,
e nem sempre saber sê-lo.

Eu te amo porque te amo.

Amor é estado de graça
e com amor não se paga.

Amor é dado de graça,
é semeado no vento,
na cachoeira, no eclipse.

Amor foge a dicionários
e a regulamentos vários.

Eu te amo porque te amo
bastante ou demais em mim.

Porque amor não se troca,
não se conjuga nem se ama.

Porque amor é amor a nada,
feliz e forte em si mesmo.

Amor é primo da morte,
e da morte vencedor,
por mais que o matem
( e matam )
a cada instante de amor.

Carlos Drummond de Andrade

Anônimo disse...

Desejo

Desejo a você...
Fruto do mato
Cheiro de jardim
Namoro no portão
Domingo sem chuva
Segunda sem mau humor
Sábado com seu amor
Filme do Carlitos
Chope com amigos
Crônica de Rubem Braga
Viver sem inimigos
Filme antigo na TV
Ter uma pessoa especial
E que ela goste de você
Música de Tom com letra de Chico
Frango caipira em pensão do interior
Ouvir uma palavra amável
Ter uma surpresa agradável
Ver a Banda passar
Noite de lua Cheia
Rever uma velha amizade
Ter fé em Deus
Não ter que ouvir a palavra não
Nem nunca, nem jamais e adeus.
Rir como criança
Ouvir canto de passarinho
Sarar de resfriado
Escrever um poema de Amor
Que nunca será rasgado
Formar um par ideal
Tomar banho de cachoeira
Pegar um bronzeado legal
Aprender uma nova canção
Esperar alguém na estação
Queijo com goiabada
Pôr-do-Sol na roça
Uma festa
Um violão
Uma seresta
Recordar um amor antigo
Ter um ombro sempre amigo
Bater palmas de alegria
Uma tarde amena
Calçar um velho chinelo
Sentar numa velha poltrona
Tocar violão para alguém
Ouvir a chuva no telhado
Vinho branco
Bolero de Ravel...
E muito carinho meu.

Carlos Drummond de Andrade

Anônimo disse...

...onde há borboleta é sinal que há uma flor...
um abraço bem apertado BelaFlor ;)

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Mhauro disse...

Oi, minha linda!
Você compartilhar sua impressões como essas inspirações, é sempre um estímulo à leitura. Para conhecer uma mulher muito bonita.